O que é e como funciona o transporte de cargas indivisíveis?

Cargas indivisíveis: o que é e como funciona?

Existem tantos tipos de carga sendo transportados pela rodovias, não é mesmo? Uma delas é a carga indivisível. Agora, um questionamento: você sabe o que é essa carga e os pré-requisitos para transportá-la? Se sim, te convido a refrescar a memória com nosso conteúdo. Se não, então esse post é para você.

Continue a leitura para conhecer didaticamente o que é a carga indivisível, veja alguns exemplos práticos, as regras que existem dentro dessa área e as condições especiais. Pronto para a leitura? Então, aperte os cintos e vamos lá!

O que é a carga indivisível?

É a carga que não pode ser divida em partes menores. Normalmente, as dimensões e peso são exuberantes e ultrapassam o limite pré-estabelecido pelo Contran.

Pare e reflita: nas estradas nós sempre vemos muitos caminhões que transportam grãos, cargas vivas e encomendas. Porém, é raro encontrarmos peças de avião – este é o melhor exemplo desse caso – afinal, são placas grandes e pesadas que precisam ser transportadas unitariamente.

Vale ressaltar que, quando as peças são extraordinariamente grandes, o tramite entre um ponto e outro é feito por avião, porém há cargas que não podem ser transitadas no ar pois excedem o peso viável. Logo, precisam ser deslocadas por rodovias e caminhões especiais. Este também é um ponto que torna o transporte rodoviário imprescindível.

Dimensões máximas para transitar nas vias

Vimos o que é a carga indivisível, e mencionamos que ela ultrapassa os limites permitidos pelo DNIT (Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte). Mas quais são os limites? Bom, segundo a Resolução 210/2006 nós temos os seguintes critérios para a carga:

  • Largura máxima: 2,60m;
  • Altura máxima: 4,40m.

Já o comprimento máximo, depende do tipo de veículo. Por isso nós separamos uma lista separada para exemplificar. Confira:

  • 14m: veículos não articulados;
  • 15m: veículos não articulados, porém da transporte de passageiros;
  • 18,6: veículos articulados que transportam passageiros;
  • 18,6m: veículos articulados de duas partes, como semirreboque ou caminhão-trator;
  • 19,8m: veículos articulados de duas partes, como reboque, ônibus ou caminhão;
  • 19,8m veículos articulados com mais de duas partes.

E o transporte de cargas especiais também possui alguns limites, mas dessa vez é para o tamanho do veículo – dá uma olhada:

  • Largura máxima: 3,20m;
  • Altura máxima: 4,40m;
  • Comprimento máximo: 30m;
  • Peso bruto máximo combinado: 57t.

Aproveitando que estamos falando sobre veículos e suas variações, confira um conteúdo essencial para iniciantes: 6 modelos de caminhões!

8 tipos de cargas indivisíveis

Falamos tanto em cargas indivisíveis, porém demos apenas um exemplo, peças de avião. No entanto, essa carga não se limita apenas a isso. Pensando em facilitar a compreensão, nós trouxemos uma lista com 8 opções de cargas indivisíveis para você conhecer. Confira a seguir:

  1. Silos;
  2. Máquinas para uso industrial;
  3. Transformadores;
  4. Reatores;
  5. Pás eólicas;
  6. Guindastes;
  7. Máquinas agrícolas;
  8. Vagões;
  9. Blocos rochosos;
  10. Asas e peças de avião.

Estes são apenas alguns exemplos práticos. Lembrando que todos os equipamentos que ultrapassam as medidas ditas anteriormente e não podem ser divididas, encaixam-se como cargas indivisíveis.

3 condições especiais para transportar cargas indivisíveis

Bom, já que é tão única e diferente, com certeza existem muitas regras para a seu deslocamento. Por isso, nós abordaremos os três principais, a fim de que você conheça o fundamental. Dá uma olhada!

1. Velocidade

Vamos começar com o mais óbvio, não é mesmo? Você já sabe que a carga influencia muito na velocidade do caminhão. E ainda mais quando a carga é tão diferente como esse caso.

A DNIT é responsável por regulamentar essa área profissional, já estabeleceu critérios de velocidade, confira as informações abaixo tendo como base os principais veículos do comboio:

Altura Velocidade Km/dia
Prancha de 3 eixos até 5,50m 50 km/h 300 km
6 linhas de eixo até 5,50m 25 km/h 100 km
12 linhas de eixo até 5,50m 10 km/h 50 km

2. Sinalização

Bom, o segundo ponto fundamental é a sinalização. Um caminhão que carrega uma carga indivisível é acompanhado por batedores, ou escoltas durante todo o trajeto. Isso já é um sinal para que os demais carros reduzam a velocidade e passem com maior cuidado. Eles são fundamentais para garantir que o tramite ocorra sem acidentes!

Uma escolta não é obrigatória, na verdade quem define se precisa ou não é a autoridade competente (DNIT). Isso é definido no momento que é feito a emissão da “Autorização Especial de Trânsito”.

Outro ponto, sinalização dos carros e do caminhão! É obrigatório que ambos estejam com placas e até faixas adesivas que advertem o transporte das cargas especiais. Tudo isso faz parte da direção defensiva e o propósito é evitar que ocorram acidentes.

3. Horários pré determinados

Vamos finalizar com o ponto mais importante, o horário para circulação. Como é uma carga onde suas dimensões ultrapassam o limite pré-estabelecido pelo Contran, a velocidade precisa ser reduzida e a carga precisa ser acompanhada por toda uma comitiva.

Por causa destes pontos é preciso avisar a polícia rodoviária, federal ou a responsável pelas vias sobre o horário que a carga será transportada. Inclusive, é liberado para transitar do amanhecer ao por do sol, porém quando esse transporte representa um transtorno para a região, o horário preferível é o noturno – porque é o momento que tem menos movimentação nas pistas.

Outro ponto que vale destacar é que rodovias com alto tráfego não devem ser utilizada para esse tipo de carga, afinal, o espaço utilizado é muito grande, logo a fluidez do trânsito pode ser extremamente comprometida.

E aí, tem interesse em transportar cargas indivisíveis? Realmente é uma área muito bacana, tudo porque é diferente da maioria e a execução do trabalho é tranquila. Já procure um órgão que disponibilize o curso para esse transporte e faça o treinamento!

Para mais informações informativas como essa, continue acompanhando o QAP e fique sempre bem informado sobre o melhor universo. Aproveite para aprender como calcular frete por km rodado. Nós preparamos um guia bem instrutivo para os caminhoneiros. Vale a pena ler e ganhar ainda mais dinheiro.

Até o próximo post!

Deixe um comentário

Gostou? Compartilhe!

Share on facebook
Facebook
Share on whatsapp
WhatsApp
Share on email
Email

Siga nossas redes sociais.